Fisioterapia Neurológica

 

 
 
 

Clínica de Fisioterapia - Método Cubana

 

 
Fisioterapia segundo método cubano de reabilitação neurológica para as seguintes patologias:

Acidente Vascular Cerebral (AVC)
Lesões Vertebro-Medulares (Paraplégias, Tetraplégias)
Esclerose Múltipla
Doença de Parkinson
Lesões dos Nervos Periféricos
Paralesia Facial.
 
 
 

Fisioterapia Intensiva

 

 
O doente pode optar por realizar várias horas de tratamentos de fisioterapia para que o recuperação seja mais rápida e com os resultados desejados.
 
 
 

Tratamento de Lesões Neurológicas

 

 
Pesquisas realizadas nos EUA mostram que técnicas de tração vêm sendo usadas com sucesso, durante anos, no tratamento das discopatias e doenças degenerativas da coluna vertebral. Grandes fabricantes de equipamentos terapêuticos e cientistas americanos investiram seriamente em pesquisas durante décadas enquanto aprimoravam técnicas seguras e eficazes de utilizar a tração vertebral e seus benefícios. Um desses equipamentos, utilizados no tratamento, é a TRITON DTS. A mesa possui um mecanismo de deslizamento com molas que controlam o atrito do paciente sobre a mesa e garante progressão segura, suave, confortável e precisa nos processos de aplicação e retirada de carga de tração. As peças de apoio para os joelhos facilitam a retificação da coluna lombar e as cintas de contato circunferenciais, largas e flexíveis, promovem um ajuste perfeito ao padrão corporal de cada paciente. Também é possível ajustar tempo, carga e tipo de tração (intermitente ou estática), além de outras características do processo de tração programadas pelo fisioterapeuta, variando de acordo com o paciente e da patologia a ser tratada. Essa descompressão realizada pela máquina traz inúmeros benefícios como: • Aumento do espaço intervertebral alongando os músculos espinhais monoarticulares, melhora a mobilidade dos ligamentos e cápsulas das facetas articulares, causa um deslizamento dessas facetas (que têm 30% de responsabilidade nas compressões radiculares), alarga o forame intervertebral e retifica curvaturas espinhais. • Efeitos mecânicos, como melhora da circulação local; diminuição da compressão das superfícies facetarias; diminuição da compressão sobre as raízes nervosas; alongamento mecânico do tecido retraído. • Efeitos neurofisiológicos, como estimulação dos mecanoceptores e a inibição da proteção reflexa que diminui o desconforto dos músculos em contração.
 
 
 
 
 
 
Comparativo Lesão Discal
 
 
 
 
Tratamento não cirúrgico para hérnia do Disco